A Bancada Evangélica e Uma Possível Teocracia

   bancada-evangelicaNós vivemos em um Estado laico, e pra falar a verdade, me orgulho muito de viver em um país assim. Essa laicidade é inclusive garantida pela Constituição brasileira, mas a nossa liberdade está ameaçada por uma tal de banca da evangélica, ora, se o Brasil não tem uma religião oficial e governante, como em países islâmicos, por que então a criação de uma bancada evangélica? Será que as demais religiões teriam espaço no congresso para criar suas bancadas? Já que todos somos iguais perante a lei, poderia ter uma bancada espírita, católica, da umbanda, candomblé, budista, islâmica, atéia ou qualquer outra que vocês imaginarem aí, afinal, temos todas essas religiões e mais algumas no nosso país, com muitos ou poucos seguidores, todas existem e merecem ser igualmente representadas, mas na prática, não é assim que funciona, não mesmo!

Evangélicos radicais, além de pregar com veemência a intolerância contra a comunidade LGBT e contra religiões afro brasileiras, se instalaram na política para fazerem valer seus preceitos religiosos na marra, mesmo ferindo direitos e liberdades de alguns grupos da sociedade. Com discursos de ódio e em casos mais extremos usando a violência para atacar suas vítimas, contrariam exatamente a palavra de Deus, que prega o amor e paz. Fico horrorizada ao ver “pastores” e demais “evangélicos” liderando quebra-quebra e depredações em terreiros de umbanda, agressões a seus praticantes, uma tal de cura gay imposta a homossexuais e sua expulsão de igrejas, dentre outros absurdos e o pior, com o apoio de muitos fiéis. Voltando a falar da questão da homossexualidade, estudos comprovam que sua origem é biológica e seria determinada ainda na gestação, não é uma opção, como acreditam esses crentes tolos e sim uma condição, que pouco tem a ver com as influências do ambiente em que crescemos ou somos criados e sim com a Biologia, é algo que não se pode mudar com uma “cura gay”, como a igreja tenta impôr inutilmente. Me preocupa a ideia de ver minha tão amada pátria Brasil, se transformar em uma teocracia, acabando com as liberdades individuais, direitos da minorias e liberdade de expressão. Espero, do fundo do meu coração que isso nunca aconteça, se não daqui a alguns anos estaremos igual ao Irã, ou Arábia Saudita, onde somente o islamismo é permitido e tudo que vai contra a religião deles é crime e tem pena de morte! Se ficarmos calados e de braços cruzados, diante de tantos absurdos em nome da fé, caminharemos para algo não muito diferente disso.

Silas Malafaia e Marcos Feliciano definitivamente não me representam, aliás, nem almenos os considero cristãos, são meros religiosos com discurso de ódio e interesses políticos, buscam alianças com quem lhes favorece. Silas com sua perseguição ferrenha ao público LGBT, se diz líder dos evangélicos, mas tenta impôr sua liderança pastoral através da força, com muito ódio, deboche e arrogância. Marcos, sempre com o seu cinismo de pastor “politicamente correto”, presidente da Comissão de Direitos Humanos, uma lástima! Quero deixar bem claro que há muitos evangélicos que são pessoas de bem e honram a palavra de Deus, inclusive, conheço muitos assim. Da mesma forma em outros religiões, mas a questão é que o nosso país não pode ser governado por religiosos e nem as nossas leis criadas para satisfazer ou favorecer determinada religião e excluir as demais, nosso Brasil já tem tantos problemas, uma teocracia é a última coisa que precisamos, afinal, somos um país livre!