Uma Reflexão sobre Empoderamento.

feministas  Empoderar seria dar poder a quem , em condições normais não tem poder algum, não tem voz ou tem pouca representatividade na sociedade. Eu tenho ouvido esse termo não só nas aulas da faculdade, mas também da boca de ativistas que defendem direitos das minorias, que como eu havia dito antes, não tem o tal poder.

O empoderamento pode ser perigoso se for levado ao pé da letra, é o que se chama de “poder da vítima”, quando o oprimido se torna o opressor e passa a perseguir pessoas inocentes, usando seu sofrimento como justificativa para praticar atrocidades ou o desrespeito ao próximo, mais ou menos como esses grupos terroristas de hoje, que eram as vítimas do passado. Mas o empoderamento pode ser positivo se for encarado como uma forma de se conquistar direitos, antes negados às minorias. O mais curioso nisso tudo é que é algo e extremamente pessoal, vindo de dentro pra fora, o processo de empoderamento começa dentro de cada um, visto que, não é necessário pertencer a nenhuma militância, ou se tornar um ativista social para se sentir empoderado, basta reconhecermos o nosso valor como seres humanos, aprendermos a dizer não, pensar por nós mesmos, lutar pelos nossos direitos e aos poucos conquistando o nosso espaço na sociedade. O povo brasileiro está tentando se empoderar através das recentes manifestações contra o governo inescrupulosos que domina esse país, tentando ainda sem sucesso, tirar do poder a nossa digníssima presidenta, que de certa forma foi tolerante com os esquemas milhonários de fraude, corrupção ativa e passiva. Vou confessar que tenho um asco muito grande desses políticos corruptos que foram pegos nessa operação lava jato!

O empoderamento nos dá força para quebrar paradigmas, tabus sociais, padrões cruéis de beleza ou de estilo de vida, nos libertamos da escravidão de seguir esses padrões e de ser vítima de um sistema arcaico e preconceituoso, aprendemos a dizer não a tudo que nos incomoda e nos aprisiona, deixamos finalmente de fazer a vontade do outro para fazer a nossa. O movimento feminista empoderou as mulheres e nos empodera até hoje, os sindicatos tentam empoderar trabalhadores mal remunerados e frustrados, mas o maior empoderamento acontece quando passamos a reconhecer o nosso valor como ser humano.

Atentados Terroristas

19154240106_0326eeaf87_bO legado de Alá continua fazendo vítimas pelo mundo, o mais recente ataque foi na França, e que causou muita comoção e revolta em todo mundo, o mais engraçado nessa história toda é que pessoas ao redor do planeta, especialmente em países pobres e subdesenvolvidos são vítimas de atentados similares ou mesmo da própria violência urbana e nós nem almenos nos lembramos de prestar a nossa devida solidariedade a essas vítimas de atos tão cruéis e desumanos.  Mas por que os atentados na França despertaram tanto furor? Simples, a França é uma potência econômica, exemplo de civilização e desenvolvimento, e o que dizer da moda em Paris? Tudo com muito glamour! Esta nação tão exemplar não poderia nunca ser alvejada. Isso me faz lembrar do famoso 11 de setembro, quando as torres gêmeas foram destruídas por aviões sequestrados por terroristas fanáticos e ensandecidos! Muita comoção mundial! Afinal de contas o atentado foi nos Estados Unidos, outra potência mundial, o país mais rico do mundo, um Império Romano dos tempos modernos, claro, esta nação tão poderosa, não poderia nunca ser atacada!

A questão mais pertinente nessa história toda, é que até os ricos estão sendo vítimas da violência, neste caso, de cunho ideológico e religioso, as vítimas dessas atrocidades, antes pobres e com pouca instrução, muitas vezes vivendo em condições indignas e habitantes de países de terceiro mundo, passavam despercebidas, eram apenas números nas estatísticas. Mas hoje a violência se tornou democrática, pobres e ricos, europeus, africanos, asiáticos, latinos, anglo saxônicos  e etc, todos podemos ser mais uma vítimas dessas barbaridades. As riquezas das nações desenvolvidas, seus policiamentos e serviços de inteligência,não são mais suficientes para conter esses criminosos de Alá, dispostos a matar e a morrer, e o que falar dos milhares de imigrantes desses países em “guerra santa”, que escolheram a Europa como seu El Dorado, uma espécie de Terra Prometida, para viverem ali as suas vidas sem serem atacados e mortos. Só que no meio desses milhões de coitados, certamente há aqueles indivíduos tolos e com mentes radicais, que uma vez marginalizados, se juntarão a uma militância terrorista pra atacar, muitas vezes, o próprio país, visto que muitos filhos de imigrantes nascem nas nações ricas. Mas como pode um francês atacar a França, não, não é bem assim! Filhos de paquistaneses, Argelinos, árabes e etc não são totalmente franceses na sua forma de pensar, eles apesar de nascidos na Europa continuam sendo árabes e muçulmanos radicais, apesar de que a religião islâmica prega a paz e não a “guerra santa”, como esses terroristas lunáticos acreditam. Esse atentado em Paris não vai ser o primeiro e nem vai ser o último, visto que as autoridades internacionais já deram seu atestado de fracasso e incompetência diante da ousadia desse tal de Estado Islâmico, que não tem nada de islâmico e muito menos um estado, o único estado que existe é o estado de calamidade política e social.